EVERYTHING YOU DO TO ADOLESCENTS – PROJECT MANAGER OPÇÃO TALENTO

EVERYTHING YOU DO TO ADOLESCENTS – PROJECT MANAGER OPÇÃO TALENTO

TUDO QUE FIZERDES AO ADOLESCENTE

Author: Chico Aquino
Project Manager: Elkin Páez Ch – Opção Talento
https://elkinpaezch.wordpress.com/opcao-talento/
Executing Institution: INPALGO
https://www.facebook.com/domchicao.inpalgo

Local: Brasilia – DF, Aguas Linda do Goiás – GO

Brazil

 

 

Anuncios

ATLAS Y RUTA AMIGONIANA, FINALIZANDO UN CICLO E INICIANDO UNO NUEVO

HOY SE CIERRA EL CICLO DE CESAMI CON LOS AMIGONIANOS, 10 AÑOS DE UNA VIVENCIA Y UNA EXPERIENCIA QUE SOLO VA A SER MANTENIDA EN EL ESPIRITU DE LOS QUE QUEDAN. DIOS BENDIGA SU OBRA Y AGRADECIMIENTO A TODOS POR ESTOS 10 AÑOS DE VIVENCIA.

COMO LEMBRANÇA DEIXO ESTES DOIS TRABALHOS FEITOS COM A EQUIPE DE PESQUISA DA PROVINCIA, ROTA AMIGONIANA E ATLAS AMIGONIANO DO BRASIL, EM PORTUGUES E EM ESPANHOL

ATLAS AMIGONIANO FINAL

RUTA AMIGONIANA BRASIL – ANALISIS DE LOS MAPAS 2012

ROTA AMIGONIANA BRASIL – ANALISE DOS MAPAS 2012

ATLAS AMIGONIANO PORTUGUES

DEUS ABENÇÕE A TODOS NESTE NOVO ANO 2014 QUE AGORA COMEÇA.

COM APRECIO

ELKIN

TREINAMENTOS DOS AMIGONIANOS NO BRASIL DESDE O 2003

Para todos os Amigonianos, partilho as fotos de varios treinamentos nós quais eu participei e compartilhei momentos especiais no trabalho desenvolvido, tudo começando na fundação do CESAMI, no ano de 2003, logo por varios Estados do Brasil até o 2006 e retorno depois do 2010.

http://picasaweb.google.com/108463619815151208815

Especial abraço a todos os que participaram e partilham o sonho de fazer um mundo melhor.

 

Elkin Páez

2013… dez anos depois….

 

PEDAGOGIA REEDUCATIVA

PALABRAS DE GRADUACIÓN

PEDAGOGÍA REEDUCATIVA

FUNLAM

Elkin Páez Chingal 2003

Muy buenas tardes a todos, un cordial saludo al Padre Arnoldo Acosta Representante del Consejo Superior, religiosos Terciarios Capuchinos, hermanos de Comunidad, doctora Claudia Vélez directora Cread Bogotá, directivas, administrativas y Asesores de la Fundación Universitaria Luis Amigó, compañeros y compañeras,  familiares y amigos que nos acompañan hoy 14 de febrero del 2003, para agradecer el fruto del esfuerzo, alegrías, tristezas, sueños, anécdotas y conocimientos de esta etapa que hoy culminamos con nuestro grado de Licenciados en Pedagogía Reeducativa y Especialistas en Pedagogía Terapéutica Institucional. Son muchas las expectativas que seguirán a partir de ahora ya que la vida no para, sino que nos pide dar fruto de la semilla sembrada por todos aquellos quienes nos acompañaron y contribuyeron en hacernos sentir parte del carisma y familia Amigoniana.

Nunca es tarde cuando se quiere, en el esfuerzo realizado por cualificar nuestra acción profesional, permite decir que valió la pena y eso lo confirmamos en este día de celebración,  de nuestro triunfo junto con quienes nos aman, y en el ejemplo y satisfacción personal de graduarnos con quienes también fueron profesores y formadores en la carrera y de bachillerato como en mi caso.

La Lluvia hará germinar la tierra, y las experiencias vividas nos han permitido madurar, con la conciencia plena de vivir cada momento a plenitud, sabiendo que ningún proceso se puede detener para recoger mejores frutos.

Nuestra carrera ha culminado, sin embargo no podemos quedarnos estancados o a pensar haber conseguido el premio. El llamado es claro, buscar una sola cosa: olvidándonos de lo que queda atrás y lanzándonos hacia lo que está por delante, correr hacia la meta, para ganar el premio, al que Dios desde arriba nos llama en Cristo, como lo expresa San Pablo. Este es el mensaje que nos invita a trazar nuevos horizontes apuntando con la brújula de nuestro optimismo por un futuro claro hacia nuestros estudiantes, familiares, amigos y en especial a nuestra sociedad necesitada del proceso reeducativo de la reconciliación si no lo proponemos.

Hoy podemos afirmar nuestra pertenencia a la familia Amigoniana con el sentir y reto de nuestra universidad de seguir buscando elementos concretos que den valides y sustento teórico a la acción práctica de 114 años de historia y de herencia de un carisma congregacional, que hizo realidad el sueño de un hombre,”Luis Amigó”, que vio la necesidad de los demás y se hizo profeta de Dios para nuestros tiempos, AL MOSTRARNOS CÓMO CADA SUJETO POSEE EN SU INTERIOR UNA ESENCIA DE  BONDAD, que debe ser descubierta y para nuestro caso profesional, como PEDAGOGOS REEDUCADORES, volver a  reconstruirla y configurarla, mostrando al mundo cómo una alternativa científica, pedagógica y de fe, si pueden llevar al ser humano a valorar al otro, aunque todos lo hayan dado por perdido, recuperando incluso la confianza de quienes por  su pasado hayan cegado la vida de otros por acciones delictivas y terroristas abriendo espacio de esperanza a la posibilidad de convivencia respetando la singularidad.

La acción del Pedagogo Reeducador se proyecta como aquel quien está en la capacidad de elaborar proyectos que potencien al ser humano. Teniendo en cuenta esto y la necesidad de sistematizar la práctica desde la mirada de los aportes teóricos brindados por las materias, y que tanto esfuerzo y sacrificio nos costó para entenderlo, pero con la conciencia plena de decir al final de nuestras vidas, que valió la pena siendo visible en los compañeros que hoy nos graduamos.

La Universidad no solo moldeó nuestros conocimientos sino que aportó una riqueza única a nuestra propia identidad como el encuentro con uno mismo a partir de los espacios potenciales de la ética, formación en grupos y demás asesorías, que facilitaron el desarrollo y concepción integral de la persona en todas sus dimensiones.  Y a su vez nos compromete a seguir trabajando en potenciar dicha concepción.

Quiero para ir terminando tomar las palabras de una de mis compañeras de equipo  de estudio graduada, en un trabajo de sistematización que realizamos juntos, sobre nuestro quehacer, quien vislumbró nuestra misión, abro comillas “más allá, de ser salvadores, es un compromiso de vida, una actitud de servicio a la comunidad, un viajar al encuentro de nosotros mismos con el fin de poder acoger al otro y brindarle un verdadero sentido de entrega al revelarle nuestra nueva forma de amar y de concederle el espacio para ser libre, conociendo las diferentes opciones que se le puedan presentar en su existencia.  Es darle al otro la capacidad de optar y de sentirse con el derecho suficiente para elegir cual es el camino que desea  seguir, si aquel del cual lo estamos rescatando u otro en el cual el sea el artífice de sus propios actos, concebidos con responsabilidad y autonomía”.

Y finalmente dar gracias a Dios por el valor del compañerismo y la solidaridad  Amigoniana cuyo parecer comparto, como lo expresó otra compañera Terciaria Capuchina quien expresaba, abro comillas, “En la unión está el secreto de la fuerza”: dijo Luis Amigó.  Ser Amigoniano en la Universidad es ser apoyo y sostén, colaborador, cooperador y peregrino del ser, al buscar en prácticas sociales internas, la interacción y la integridad.  Vivir el amigonianismo es vivir la socialización, como la búsqueda de una estructura de alta movilidad que se caracterice por la libertad de asociación, con fuertes lazos de solidaridad y como mecanismo de relacionamiento entre seres humanos, que garantice procesos democráticos, con flexibilidad para producir recombinaciones, que permitan enfrentar la imprevisibilidad humana, de quienes vivimos la Universidad, desde Dios.  Es conversión, regreso al punto de origen permanentemente.”

Gracias a todos y muchas bendiciones esperando retribuir lo recibido..

FORMAÇÃO E TREINAMENTO DE PROFISSIONAIS PARA O ATENDIMENTO DE ADOLESCENTES EM SITUAÇÃO DE CONFLITO COM A LEI, CONSUMIDORES DE SUBSTANCIAS PSICOATIVAS E EM SITUAÇÃO DE RISCO E DE VULNERAÇÃO

Artigo Completo

Formação de Profissionais para o atendimento de adolescentes em conflito com a Lei e em situação de risco e vulnerabilidade

FORMAÇÃO E TREINAMENTO DE PROFISSIONAIS PARA O ATENDIMENTO DE ADOLESCENTES EM SITUAÇÃO DE CONFLITO COM A LEI, CONSUMIDORES DE SUBSTANCIAS PSICOATIVAS E EM SITUAÇÃO DE RISCO E DE VULNERAÇÃO

Elkin Páez Chingal

Outubro de 2011

1.   INTRODUÇÃO

Dar a conhecer e validar uma experiência de trabalho exige constância e dedicação, porém, e especialmente, compromisso com aquilo que se acredita, dessa forma, não somente se pode transmitir um conhecimento, se pode formar uma equipe de trabalho capaz de desenvolver inclusive, aquilo que pode parecer impossível.

É possível abordar e intervir com sucesso a complexa problemática individual, familiar, social e governamental que representa o atendimento de adolescentes em conflito com a lei, ou que se encontram em situação de risco e vulneração por problemáticas de consumo de substâncias psicoativas “crack”, criminalidade, entre outras?.

É possível formar e treinar uma equipe de trabalho que desenvolva o trabalho de atendimento a esta população com compromisso, qualidade, quebrando os paradigmas do medo, violência, rejeição e indiferença, e abordando com profissionalismo as diferentes problemáticas que este tipo de atendimento representa?.

É possível estabelecer um compromisso e parceira com o Governo e o Terceiro Setor, representado por entidades com experiência e que podem aportar e dar respostas em todos os níveis à complexidade da problemática, obtendo e disponibilizando os recursos que esta empreitada requer?.

Responder estas perguntas serve como ponto de partida e interesse principal deste artigo, dar a conhecer e validar a experiência pessoal, de toda uma equipe de trabalho e institucional das entidades para as quais eu trabalho, Pastoral Amigoniana de Ação Social –PAAS-[1] e Congregação dos Religiosos Terciários Capuchinhos Província de São José[2] e que vêm desenvolvendo um processo de capacitação e formação de profissionais e funcionários na área do atendimento à adolescentes em situação de conflito com a lei em vários Estados do Brasil acontecida nos períodos de 2001, novembro do 2003 ao 2006 e o período de 2010 ao 2011.

Esta experiência de trabalho se desenvolve dentro do contexto de ter participado na construção e implementação do Projeto Político Pedagógico Institucional das Unidades de Atendimento a Adolescentes em conflito com a lei na medida privativa da liberdade provisório e medida socioeducativa de internação contempladas no Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA[3] – do Centro Socioeducativo Amigoniano – CESAMI[4] ou nomeado pelo governo Centro de Atendimento Juvenil Especializado II do Distrito Federal – CAJE II / DF, Centro de Integração de Adolescentes Granja das Oliveiras – CIAGO, Unidade de Internação que foi assumida pela Congregação no ano 2006 ao 2008, Unidades de Internação e Internação Provisória dos Municípios do Sul de Espírito Santo, Centro Sócio Educativo Dom Luis Amigó e Ferrer, Belo Horizonte / Minas Gerais, Assessoria e Consultoria as entidades do governo responsáveis pelas medidas socioeducativas dos Estados do Pará, Espírito Santo, Piauí, Mato Grosso do Sul, Roraima, São Luis de Maranhão, fundamentadas e sustentadas no Modelo Pedagógico Terapêutico Amigoniano, modelo que está implementado em mais de 20 países e com mais de 120 anos de historia, trabalhando não somente com população em conflito com a lei, mas também, com população em situação de risco e vulneração, colégios, comunidades terapêuticas e uma Fundação Universitária na Colômbia[5] e que no Brasil é representado pela PAAS e Congregação dos Religiosos Terciários Capuchinhos.

A resposta as três perguntas iniciais é sim, sim é possível conseguir e fazer atendimento e recuperação de adolescentes em situação de conflito com a lei ou com problemáticas de consumo de crack ou em vulneração ou situações de risco. É possível sim formar equipes de trabalho que não possuíam experiência e conseguiram obter um alto grau de comprometimento e preocupação pela formação permanente em estratégias de intervenção a abordagem de situaçoes e finalmente, sim é possível estabelecer parcerias com o Estado quando a qualidade e compromisso são a prova visível que se quer dar resposta aos objetivos do Estado de aportar e trabalhar de forma conjunta para obter resultados às problemáticas sociais.

Dado o caráter científico que todo artigo deve ter para validar a experiência e conhecimento específico, que o sustente e argumente, posso dizer que as conclusões deste artigo seguem o método cientifico da pesquisa social, sendo que o objeto desta pesquisa é dar resposta a um grupo social[6]. Optei pela metodologia de Investigação Ação Participativa – IAP, argumentado por autores tais quais: J. BOSCO P, La IA como práctica social, Dimensión Educativa, Revista Aportes No 20, 2000, pgs 66-72, FALS BORDA Orlando, La Investigación, Obra de los trabajadores, Dimensión Educativa, Revista Aportes No 20, 2000, pgs 11, 54-72 e BRIONES Guillermo, La Investigación Social y Educativa, 3ª Edición, Convenio Andrés Bello, 1995, Colombia., devido ao fato de ter participado na construção desta pesquisa, sendo ator e participe da mesma de forma ativa.

A IAP valida o processo do conhecimento a partir da sistematização de experiências, a reflexão e comunicação das mesmas como parte fundamental para obtenção do conhecimento como é expressado por ARCILA ROJAS Adriana Patricia, “Guía de Estudio y Trabajo Investigación y Práctica”, Bloque Temático, “La Objetivación de la Sistematización”, Medellín –Colombia, Fundación Universitaria Luis Amigó, 1998, pg 13.

Validando o tema deste artigo de FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS, considerando profissionais toda a equipe de trabalho que abrange diretivas, equipe psicossocial, educadores, agentes, técnicos profissionalizantes, saúde, serviços gerais, cozinha, etc., delimito assim minha pesquisa, focalizando um ponto de partida que me permita responder as três perguntas iniciais da introdução, a partir da forma como foi construída, sistematizada esta experiência, relatando como aconteceu e se desenvolveu o processo de construção, implementação e execução do Projeto de Capacitação de Funcionários que trabalhariam com este tipo de população, a necessidade de escrever e implementar os diferentes Projetos Políticos Pedagógicos Institucionais, fundamentados em um Modelo Pedagógico e Intervenção que não era conhecido no Brasil e que exigiu um trabalho inicial de tradução dos textos e validação dos mesmos, ao mesmo tempo que era implementado o Projeto de Formação dos profissionais.

Este artigo recolhe os elementos principais sistematizados e relata a experiência do pesquisador que participa do processo da pesquisa e vai desenvolver os seguintes eixos temáticos.

  1. Uma necessidade, uma problemática, uma resposta
  2. Assumindo desafios
  3. Quebrando Paradigmas
  4. Um novo Modelo Pedagógico Terapêutico de Intervenção
  5. Proposta de Formação e Capacitação
  6. Aceitando o novo: Conciliando teorias, experiências e expectativas
  7. Construindo Identidade Institucional
  8. Elementos do Projeto Político Pedagógico Institucional
  9. Argumentando um Modelo Pedagógico Terapêutico de Intervenção.

10. Acompanhar e sistematizar experiências.

11. Garantindo a Capacitação Continuada.

No processo de continuidade de pesquisa ficam muitas tarefas a fazer como são:

  • Processo de avaliação dos profissionais no Modelo Pedagógico Terapêutico,
  • Processo de acompanhamento aos profissionais na consecução das metas de operacionalização do Projeto Político Pedagógico Institucional,
  • Processo de acompanhamento e seguimento aos adolescentes em situação de conflito com a lei, consumidores de substâncias psicoativas e em situação de risco e vulneração e resultados obtidos,
  • Comunicação de experiências e validação de toda a proposta nos âmbitos de conhecimento, de governo e com todas as entidades e órgãos que trabalham com este tipo de população,
  • Estabelecer parceria com centros universitários para estabelecer cursos de qualificação aos profissionais nesta área de conhecimento
  • Validar a proposta do Modelo Pedagógico Terapêutico Amigoniano, evitando assim plágios como já tem acontecido.
  • E finalmente, como se fez na Colômbia iniciar o processo de certificação da qualidade ISO dos processos de atendimento e que possam ser implementados ou servir de referencia no país para o atendimento deste tipo população.

[1] www.paasbrasil.com , Site da Pastoral Amigoniana de Ação Social – PAAS.

[2] http://www.terciarioscapuchinossanjose.org/, Site da Congregação dos Religiosos Terciários Capuchinhos Província de São José.

[3] Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA  Lei 8069 de 13 de julho de 1990 http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8069.htm

[4] https://elkinpaezch.files.wordpress.com/2011/01/relatc3b3rio-insitucional-2010.pdf , Relatório de Apresentação dos 7 anos de atividades do CESAMI.

[5] http://www.funlam.edu.co/ , Site Fundação Universitária Luis Amigó, Colômbia.

[6] SPINDOLA Marcos Prof. MD.Sc., pós Doc, Md; Metodologia do Trabalho de Pesquisa, Slides de aula, Pós Graduação Especialização em Gestão de Projetos com foco PMI, Setembro de 2011, Brasília / DF, sem publicar, slide 55.

EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAS FÍSICAS CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM

Edital para seleção e contratação de monitores para as Unidades de Atendimento Sócio Educativo Regional Sul ES

Edital de Seleção de Pessoas Físicas – Unidades de Atendimento Cachoeiro de Itapemirim – ES

Relatório Institucional CESAMI 2010 – Projeto Político Pedagógico Institucional

Relatório Institucional 2010 CESAMI